Cursos | Estudos

Design de Tipos, a nova Pós-Graduação da ESTAL

Dulce FilipeDulce Filipe
Julho 9, 2014
COMENTÁRIOS

Design de Tipos é a nova Pós-Graduação da ESTAL.

A Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa conta com a melhor licenciatura em Design de Comunicação do país! A escola continua a trabalhar no sentido de incrementar e disponibilizar as melhores formações no campo do Design e nesse sentido está a preparar cuidadosamente novas pós-graduações que vão arrancar no início do Outono.

Desta preparação, consta o corpo docente que foi escolhido entre os melhores profissionais e docentes nas respectivas áreas, de modo a garantir aos nossos futuros alunos uma formação qualificada que proporcione emprego e progressão na carreira. Queremos continuar a formar os melhores profissionais do mercado! Falemos da Pós-graduação em Design de Tipos que pretende ser um espaço de aprendizagem e especialização no design de tipos.

Esta pós-graduação dirige-se a todos os designers e profissionais activos na área do design que pretendam desenvolver os seus conhecimentos nesta especialidade, a todos os profissionais das áreas do design e artísticas que estejam interessados em conhecer, adquirir e aprofundar conhecimentos em design de tipos e a todos os ateliers, agências e empresas que queiram investir na formação especializada dos seus colaboradores. Através de unidades curriculares teóricas, teórico-práticas e práticas, pretende-se levar os alunos a: aprofundar os conhecimentos de enquadramento histórico, conceptual e tecnológico das famílias tipográficas pelas suas características morfológicas; compreender a adequação da fonte tipográfica nas diferentes aplicações gráficas, segundo a sua morfologia, significado e função; desenvolver capacidades reflexivas, estratégicas, conceptuais, técnicas e metodológicas na criação de fontes tipográficas digitais; explorar diferentes recursos e estimular a procura da plasticidade gráfica na criação identitária e expressiva de um alfabeto; conferir competências de um Designer de Tipos, capaz de conceber fontes tipográficas contemporâneas, desde a ideia estratégica da letra até ao desenho digital do alfabeto e edição; aprofundar conhecimentos conceptuais, estratégicos e técnicos orientados para aplicações criativas e originais no universo do design de tipos; estreitar uma aproximação à prática profissional em contexto de trabalho real nas dimensões conceptuais, técnicas, de produção e interpessoais.

E porque sem o design gráfico «a palavra escrita não existira, nem os jornais, nem as revistas, nem a Internet… tudo deveria ser escrito à mão… e receberíamos todos os nossos conhecimentos oralmente», como nos diz Quentin Newark, esperam por si já no próximo dia 15 de outubro, aqui no Lugar da Criatividade. “Pós-graduação em Design de Tipos” – 15 de Outubro de 2014 a 30 de Julho de 2015

LEIA MAIS

Estudos | Universidades

Projeto da UMinho quer aprimorar a visão dos árbitros

Dulce FilipeDulce Filipe
Julho 9, 2014
COMENTÁRIOS

E a propósito de mundial, sabias que a Universidade do Minho tem um projeto que pretende aprimorar a visão dos árbitros? Iniciado em 2012, o estudo envolve todos os árbitros principais e auxiliares da I Liga de futebol, como Paulo Baptista, Duarte Gomes, Carlos Xistra e Cosme Machado.

Este estudo inovador envolve todos os árbitros principais e assistentes da I Liga de futebol. O objetivo é caracterizar as suas capacidades visuais e criar métodos para desempenhos de excelência. “O Olho em Ação: da Perceção ao Treino de Decisão” é o nome do projeto coordenado por António Baptista, professor e investigador em optometria da Escola de Ciências da UMinho, com o objetivo de “caracterizar e otimizar as capacidades dos árbitros” de futebol em termos visuais. O projeto envolve ainda Nuno Catarino, Filipe Macedo, Sabrina Oliveira e Carlos Silva (todos da UMinho), Pedro Serra (Universidade da Beira Interior), Brendan Barrett (Universidade de Bradford, Reino Unido), o Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol de Braga (CAAFB) e o Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

O projeto surgiu de uma necessidade diagnosticada no âmbito de um protocolo desportivo entre a UMinho e o CAAFB. Nuno Catarino e Cunha Antunes, presidente do CAAFB, discutiram a preparação de novos talentos para a arbitragem regional e, entre as diversas condições, foi lançado um desafio a António Baptista para integrar um estudo no âmbito da visão nesta preparação de novos árbitros. Neste momento, o estudo foi já apresentado a Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem da FPF, entidade que aderiu de imediato ao projeto.

Iniciado em 2012, o estudo envolve todos os árbitros, principais e assistentes, da I Liga de futebol profissional. O projeto pretende caraterizar o estado da visão dos árbitros, caraterizar as necessidades que têm e, numa terceira fase, criar métodos para intervir, por forma a otimizar as suas capacidades.

“O trabalho, que só deve estar concluído em 2016, chegou à caracterização, para conhecermos o nosso grupo e estabelecermos as métricas com que vamos avaliar”, adianta António Baptista, sendo que numa fase posterior se trabalhará “a otimização das capacidades”. Desejavelmente, no final do projeto haverá metodologias e treino desenvolvido para melhorar o desempenho visual dos árbitros. Quanto à pertinência, apurada no trabalho já realizado, o investigador realça que “a componente visual é crítica para o desempenho do árbitro e o que se pretende é que a sua visão esteja na melhor forma, contribuindo para um desempenho de excelência”. Esta ideia consubstancia o conceito “árbitro/atleta de alto rendimento” defendido por Nuno Catarino: “Da mesma forma que atletas de topo treinam diversas variantes para um desempenho de excelência, com os árbitros deve acontecer a mesma coisa”. O especialista em gestão desportiva defende que, “da mesma forma que os melhores atletas de destacam nas boas tomadas de decisão, seja no primeiro ou no último minuto de jogo já com índices de cansaço, os melhores árbitros farão a diferença ao tomar decisões corretas durante toda a partida.

No entanto, para o conseguirem, tal como os atletas têm que reunir um conjunto de condições específicas”. Catarino considera por isso que o treino e desempenho da visão “tem que ser um dos muitos vetores de alto desempenho e, no futuro, será uma necessidade específica que entrará seguramente nas normas de admissão, entre outras condições, como as ordem física e psicológica”. Esta é considerada pelos seus promotores uma investigação vanguardista nesta área. António Baptista observa que, “apesar de ser um trabalho científico na área da optometria e ciências da visão, prevê-se num futuro próximo integrar outras áreas científicas, já que são árbitros que precisam de reunir um conjunto de condições, para além da visão, embora esta seja fundamental”.

Limites da visão e a tecnologia

Para António Baptista, “reconhecidamente fica claro o papel fundamental que a visão tem na arbitragem, nomeadamente o dilema de estar a olhar mas não percecionar o que realmente acontece, por vezes pelas próprias limitações humanas”. O projeto pretende desenvolver ferramentas que ajudem o árbitro a lidar da melhor forma com algumas destas limitações. Quanto a resultados, o estudo revela ainda que ”genericamente os árbitros têm bons níveis de desempenho visual, embora, curiosamente, os árbitros principais tenham revelado, em média, melhores desempenhos do que os árbitros assistentes”. Por isso, o optometrista crê na “importância fundamental” do trabalho em curso, no sentido de melhorar mais significativamente as condições para o desempenho visual dos árbitros, fazendo-o através de treino específico e formação para a compreensão dos fenómenos da visão. Nuno Catarino vai mais longe, afirmando que “este tipo de estudo trabalha e prepara os árbitros para diminuir o erro e aproximar o seu desempenho da verdade desportiva”. No entanto, acrescenta que “o trabalho de investigação mal começou e, um dia, chegará ao limite daquelas que serão as capacidades humanas no âmbito da visão. Atingindo estes pressupostos, a comunidade científica irá demonstrar que a partir deste limite será necessário recorrer a novos meios complementares de apoio à tomada de decisão dos árbitros de futebol, para aferição e validação durante uma partida de futebol”.

Em outubro deve ser apresentado na sede da FPF, em Lisboa, uma livro que reúne os trabalhos de investigação feitos na área de arbitragem, no qual não poderia faltar o projeto “Olho em Ação”.

LEIA MAIS

Eventos

Conhece o projecto StartIUPI – Empreendedorismo para crianças

Dulce FilipeDulce Filipe
Julho 9, 2014
COMENTÁRIOS

O projecto StartIUPI - Empreendedorismo para crianças é uma iniciativa sem fins lucrativos que pretende incutir o espírito empreendedor nos mais novos desde o início.

Para os mentores deste projeto ser empreendedor é mais que criar uma empresa, é antes ter a capacidade de identificar um problema, pensar numa solução e colocar essa solução em prática, acção. E é este conceito que trabalham com as crianças e adolescentes que participam nos seus programas.

A palavra empreendedorismo tem vindo a ganhar mais protagonismo e é visto como a capacidade de resolver problemas. Principalmente nas crianças e adolescentes, que têm agora uma excelente oportunidade de desenvolver estas competências adquirindo ferramentas que lhes serão extremamente úteis num futuro já próximo.

Este Verão e em parceria com a NumbersMania, a StartIUPI está a promover as Clínicas de Verão para crianças.

Segue-os no Facebook em www.facebook.com/startIUPI

LEIA MAIS

Cursos

Open Yale Courses: EVST 255 – POLÍTICA AMBIENTAL E DIREITO

Dulce FilipeDulce Filipe
Julho 8, 2014
COMENTÁRIOS

Pode o Direito mudar o comportamento humano para torná-lo menos daninho ambientalmente? A legislação será examinada através de relatos de casos incluindo: efeitos ambientais da segurança nacional, agrotóxicos, poluição do ar, produtos de consumo, plásticos, parques e gestão de áreas protegidas, uso do solo, crescimento urbano e expansão, o trânsito público/privado, padrões de água potável, segurança alimentar e restauração de locais de risco. Em cada caso, será analisado e avaliada a estrutura legislativa e os seus pontos fortes e debilidades.

Este curso do Yale College, ministrado no campus duas vezes por semana por 50 minutos, foi gravado para os Open Yale Courses na Primavera de 2010.

Materiais do curso

Faça o Download de toda a documentação deste curso através de sua versão em inglês [zip - 10MB]

Sobre o Professor John Wargo

John Wargo é  professor de Saúde e Política Ambiental, e é catedrático de Estudos Ambientais do Yale College.

Escreveu e lecionou extensivamente sobre os limites e as potencialidades do direito ambiental.

Escreveu Green Intelligence: Creating Environments that Protect Human Health (Yale Press 2009), o texto base do seu curso. O livro ganhou o Prémio Gold Medal dos Editores Independentes em matéria de “meio ambiente, ecologia e natureza” em 2010 e foi escolhido como um dos livros favoritos da revista Scientific American em 2009.

Escreveu também Our Children’s Toxic Legacy: How Science and Law Fail to Protect Us from Pesticides (Yale Press 1998) que ganhou o Prémio da American Association of Publishers como melhor livro no campo da ciência política.

O professor Wargo participou de muitos comités da National Academy of Sciences, discursou perante o Congresso, e foi consultor da Casa Branca, Organização Mundial da Saúde, Organização para a Alimentação e Agricultura, a EPA, USDA, e os Centros para Controle e Prevenção de doenças em ameaças ambientais à saúde.

LEIA MAIS

Estudos

EPIS lança um novo formato de estágios profissionais de curta duração para jovens do 9.º ano

Dulce FilipeDulce Filipe
Junho 26, 2014
COMENTÁRIOS
epis

epis

Este verão a Associação EPIS – Empresários Pela Inclusão Social vai proporcionar a 50 jovens experiências profissionais em mais de 15 empresas e instituições, com o objetivo de promover as vocações e as profissões.

Os ateliês vocacionais EPIS, assim se designa a iniciativa, funcionarão como “batismos profissionais” de curta duração (entre 1 e 3 dias) em que pequenos grupos de jovens são “mergulhados e iniciados” no funcionamento de uma empresa, com o objetivo de confirmar as vocações previamente auscultadas destes jovens.

O seu percurso será acompanhado por mentores do projeto “Vocações de Futuro”, voluntários dos quadros das empresas associadas e parceiras da EPIS que, ao longo do ano, procuram contribuir para o sucesso escolar e pessoal dos jovens EPIS.

“Com este novo formato, a EPIS deseja apontar um caminho inovador no sentido de promover o “apetite” das empresas para receberem, por períodos curtos, jovens em carreira escolar, sobretudo os mais carenciados, de modo a ajudá-los a descobrirem as suas vocações pessoais e profissionais, potenciando a sua motivação para os estudos”, sublinha Luís Palha, Presidente da Direção da EPIS.

A semana de trabalho terá início no dia 30 de junho na Fundação Calouste Gulbenkian, decorrendo da parte da tarde (15h00) a academia IEFP dedicada às melhores práticas a adotar em ambiente profissional.

Nos dias 1, 2 e 3 de julho os 50 jovens serão integrados, em grupos mais reduzidos, em contexto de trabalho em diferentes empresas: Altran, Ascendum, Cimpor, Chapitô, CTT, Dia, Jerónimo Martins, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Fundação Benfica, Museu Nacional de História Natural e da Ciência, Sic, Sovena.

A experiência dos ateliês vocacionais culminará no dia 4 de julho com uma visita à Câmara Municipal de Lisboa e a receção aos alunos pelo Presidente da República. “A missão de uma Associação como a EPIS tem de começar na escola, mas não se pode esgotar aqui. Deve permitir um acompanhamento longitudinal ao longo das diversas etapas do seu desenvolvimento, incluindo a sua orientação, formação e inserção profissional.

Os ateliês vocacionais representam um aperfeiçoamento do conceito iniciado em 2011 com a Rota das Vocações de Futuro, permitindo que os jovens fiquem mais tempo numa empresa para a conhecerem com maior detalhe”, acrescenta.

Com o objetivo de ajudar os jovens a pensar num futuro profissional, dando a conhecer bons exemplos de pessoas, empresas e carreiras, a EPIS desenvolve, desde 2011, programas de voluntariado com empresas Associadas e Parceiras, proporcionando diversas experiências que permitem o contacto com o mundo empresarial.

LEIA MAIS

Eventos

Águas de Portugal e CCISP assinam protocolo de cooperação técnica e científica

Dulce FilipeDulce Filipe
Junho 26, 2014
COMENTÁRIOS

CCISP

Amanhã, dia 27 de junho, às 15h00, no auditório da Águas de Portugal, o Grupo Águas de Portugal (AdP) e o Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) assinam um protocolo de cooperação técnica e científica.

Este acordo visa desenvolver instrumentos de apoio à AdP ao nível da formação, de capitação técnica e de estudos de investigação em abastecimento de água, saneamento de águas residuais e gestão de resíduos. As instituições de ensino superior irão realizar estudos de investigação e de consultadoria especializada em diversos domínios, alguns deles já desenvolvidos em estreita colaboração entre as empresas da AdP e institutos politécnicos da respetiva região.

O acordo ainda prevê a componente de formação recíproca entre a AdP e o CCISP, bem como o estabelecimento de parcerias estratégicas em candidaturas para programas nacionais e europeus, ou noutras ações de inovação, investigação e desenvolvimento.

LEIA MAIS

Concursos | Eventos | Prémios

AMI promove Prémio Encontros Improváveis – Partilha a tua ideia

Dulce FilipeDulce Filipe
Junho 26, 2014
COMENTÁRIOS

O Prémio Encontros Improváveis – Partilha a tua ideia é uma iniciativa paralela à conferência “Uma Economia Verde num Mundo Azul”, que a AMI vai organizar no dia 26 de setembro, em Lisboa. O objetivo do Prémio é desafiar os estudantes universitários (licenciatura, mestrado ou doutoramento) a apresentar soluções para um problema nacional ou global relacionado com o tema da segunda das quatro conferências que a AMI vai organizar em parceria com a Global Compact Network Portugal.

Com esta iniciativa pretende-se premiar a equipa que apresentar a melhor ideia de negócio que vise mitigar ou resolver um determinado problema da sociedade, na área da temática abordada.

Esta segunda conferência abordará o Ambiente, será subordinada ao tema “Uma Economia Verde num Mundo Azul”, terá como convidado um orador internacional e será precedida de uma mesa redonda com oradores portugueses especialistas na área.

A equipa vencedora será anunciada no dia da conferência e terá a oportunidade de apresentar a sua ideia ao orador internacional convidado, bem como usufruir de uma ação de formação em gestão de projetos, oferecida pela Passio.

As candidaturas podem começar a ser submetidas até 18 de julho de 2014.

Para mais informações, consultar o regulamento e respetivo anexo e formulário de candidatura. Todas as dúvidas poderão ser esclarecidas através do email: encontros.improvaveis@ami.org.pt

LEIA MAIS

Eventos | Universidades

Academia Olá desafia estudantes do ensino superior

Dulce FilipeDulce Filipe
Junho 25, 2014
COMENTÁRIOS

A Academia Olá é um programa de verão para universitários que combina formação e experiência profissional. Durante 1 mês, os participantes na Academia vão ser desafiados a transformar a função do vendedor ambulante de gelados, aplicando conceitos de gestão, tomando decisões no que respeita à estratégia e táctica a aplicar e avaliando o impacto que os aspectos comportamentais e a optimização das características pessoais têm no sucesso profissional.

Podem participar na Academia Olá todos os estudantes do ensino superior e politécnico com idades compreendidas entre os 18 e os 25 anos.

As sessões de formação terão lugar em Lisboa, em local a designar.

As acções de trabalho de campo acontecerão em todo o litoral e os participantes serão alocados consoante a sua área de residência.

A Academia Olá realiza-se em 2 vagas. De 1 de julho a 1 de agosto, a primeira vaga, e de 29 de julho a 29 de agosto, a segunda vaga.

Se estás interessado neste programa inscreve-te em www.academiaola.com

Fonte: Academia Olá

LEIA MAIS

Cursos | Workshops

Sage promove 6ª edição de cursos de verão gratuitos para desempregados

Dulce FilipeDulce Filipe
Junho 25, 2014
COMENTÁRIOS

Queremos continuar a construir um futuro melhor”. è com este objetivo que a Sage Portugal volta a realizar, pelo 6ª ano consecutivo, os Cursos de Verão gratuitos para recém-licenciados e desempregados, nas áreas das ciências empresariais e informática.

Fornecer aos formandos competências para que se tornem um Sage Júnior Technician e, ao mesmo tempo, oferecer uma integração imediata na Bolsa de Emprego Sage são os objetivos destes cursos.

Conjugando uma vertente prática, em ambiente de simulação empresarial, com uma componente teórica, o curso tem a duração de 40 horas e é ministrado em formato B-learning (1ª Edição – 14 a 25 de Julho, 2ª Edição – 28 de Julho a 8 de Agosto e a 3ª Edição – 18 a 29 de Agosto, das 14h às 18h) e online (1ª Edição – 21 de Julho a 1 de Agosto e a 2ª Edição – 1 a 12 de Setembro, das 14h às 18h).

Tal como nos anos anteriores, o curso aborda as Soluções Sage em áreas como a Fiscalidade, Contabilidade e Informática, atribuindo as competências exigidas pelo mercado de trabalho e proporcionando uma melhor compreensão da envolvente organizacional, desde as operações gerais à gestão empresarial.

Os Cursos de Verão iniciados em 2009 no âmbito de protocolos com diversas instituições de ensino universitário e politécnico, focalizam-se na especialização e diferenciação adaptadas às necessidades atuais do mercado de trabalho e abrangem, desde os últimos anos, para além de recém-licenciados, os desempregados nas áreas das ciências empresariais e informática.

As inscrições nestes cursos já estão abertas e podem ser feitas no site da Sage Portugal (www.sage.pt), através do email formacao@sage.pt ou ligando para o 707 782 403.

E se estás à procura de estágios ou de emprego qualificado consulta o Portal de Emprego Universia em www.emprego.universia.pt.

Se estás a estudar e procuras uma bolsa consulta também o nosso Portal de Bolsas em bolsas.universia.pt

LEIA MAIS

Cursos

FLAG lança campanha de Cursos de Verão

Dulce FilipeDulce Filipe
Junho 25, 2014
COMENTÁRIOS

E porque também há quem aproveite as férias para melhorar o currículo, a FLAG anunciou a abertura das inscrições nos cursos em formato intensivo que irão decorrer durante o mês de agosto, nas áreas de Design Gráfico, Web Design, Desenho e Animação 3D, Marketing Digital e CAD.

 

Os cursos de Verão da FLAG foram idealizados para os profissionais e empresas que procuram cursos intensivos e que pretendem aprofundar os seus conhecimentos técnicos e práticos, num curto espaço de tempo.

Os cursos de Verão vão estar disponíveis na FLAG Lisboa e FLAG Porto, em horário laboral, de segunda a sexta-feira, das 10h00 às 17h00, e com um desconto especial de 25%.  E ainda podes aproveitar para ir à praia no final do dia ;) .

A oferta formativa de Verão da FLAG integra os seguintes cursos:

• Curso Especializado Design Gráfico que aborda as três ferramentas da Adobe destinadas ao design gráfico (Adobe Photoshop, Adobe Illustrator e Adobe InDesign). Este curso tem início a 11 de agosto, em Lisboa e Porto.

• Curso Especializado Adobe Photoshop que aborda a aplicação Adobe Photoshop, desde as suas bases até às ferramentas mais avançadas. Este curso tem início a 04 de agosto no Porto.

• Curso Especializado Web Design tem início a 6 de agosto em Lisboa e é constituído pelos módulos de Fireworks, Dreamweaver e Flash.

• Curso Especializado Maya que prepara profissionais com as competências técnicas necessárias nas áreas de representação e animação 3D, recorrendo às mais avançadas tecnologias e aplicações do mercado. Apenas na FLAG Lisboa, com começo a 1 de agosto.

• Cursos Especializados de Marketing Digital, nomeadamente, Curso Especializado Search Engine Marketing e Curso Especializado Social Media Marketing, cursos estes que permitem aos participantes adquirirem as ferramentas necessárias para implementar um plano de Marketing Digital com recurso às diferentes ferramentas disponíveis.

• Cursos Especializados de CAD e Revit, a começar a 4 de agosto no Porto, essenciais a quem desempenha ou pretende vir a desempenhar uma função na área de arquitetura, engenharia, design, construção, materiais de construção, transportadoras ou mecânica.

Mais informações sobre os cursos de Verão em: www.flag.pt/verao2014/

SOBRE A FLAG:
A FLAG é uma empresa prestadora de serviços de formação profissional, especializada em novas tecnologias de informação, que tem por missão “contribuir para a promoção do desenvolvimento do capital humano no domínio estratégico das novas tecnologias de informação e comunicação, de forma direta ou através da colaboração com agentes da sociedade que demonstrem objetivos consonantes”.

Sediada na Praça Duque de Saldanha, no edifício Atrium Saldanha, a FLAG dispõe de centros de formação em Lisboa, Coimbra e Porto. Os centros de formação da FLAG têm, no mercado, conotação com as áreas gráficas e do desenvolvimento para a Web, sendo reconhecida como empresa especialista na matéria, assegurando formação presencial para empresas e particulares nas áreas de Design Gráfico, Fotografia, Web & Mobile, Web Marketing, Vídeo e Motion Design, Desenho e Animação 3D, CAD e Sistemas. Desde a sua fundação, a FLAG tem vindo a conceber, organizar e desenvolver ações de formação, workshops e sessões de informática técnica de reconhecida qualidade, nos sub domínios do Design e da Criatividade, Marketing Digital, e Desenvolvimento para Web e Mobile, sendo acreditada pelas principais marcas de software como a Adobe, Apple, Autodesk, Quark, Discreet, Corel e Alias.

LEIA MAIS